Vivência

Bel venceu o câncer aos 20 e agora quer ajudar outras pessoas

30 de outubro de 2018

author:

Bel venceu o câncer aos 20 e agora quer ajudar outras pessoas

Hoje começamos uma nova categoria aqui no blog do Poppin. Ela se chama “Vivência” e vai contar histórias reais de pessoas que, por meio de suas ações, conseguem fazer a diferença no ambiente em que vivem.

O diagnóstico de câncer é uma coisa que ninguém vê chegando. Quando você é jovem, então, sequer imagina que isso pode acontecer com você. O problema é que o câncer é uma doença silenciosa e que carrega esse estigma de “só acontecer com pessoas mais velhas”. Como estamos no final do Outubro Rosa e quase começando o Novembro Azul, é uma boa hora de falarmos sobre o assunto.

Hoje vamos contar a história da Bel Costa, que, aos 20 anos de idade, passou por essa experiência. Bel descobriu que tinha câncer de mama quando já cursava o 4º semestre de Direito. O diagnóstico foi ainda pior por conta da insensibilidade do seu primeiro médico, que deu a notícia aos gritos para ela e sua mãe.

Bel Costa, criadora do grupo Câncer sem Tabu

O choque inicial, segundo ela, foi terrível por não saber o que poderia acontecer e pela falta de informações. Mas ainda bem que temos o Google e as redes sociais pra nos ajudar, certo? Nesse caso, não. Infelizmente, as primeiras informações que a Bel encontrou na internet a deixaram ainda mais assustada e insegura.

Ela só ficou mais tranquila depois de conversar mais com seu novo oncologista (não dava pra continuar no anterior, né?), que explicou melhor sobre o tratamento que ela receberia, além de indicar locais com informações mais confiáveis e confortantes. Então a Bel descobriu o Instituto Oncoguia, uma ONG que tem como missão melhorar o acesso às informações sobre o câncer no Brasil. Graças a isso, ela conseguiu manter a calma para seguir em frente.

Eu poderia continuar contando a história do tratamento da Bel, mas ela já fez isso no blog dela, o Câncer aos 20. Hoje ela já passou por todas as fases do tratamento, está fazendo o acompanhamento de controle e voltou pra faculdade. Mas pra minha sorte e a desse blog, a Bel tem outra história que é, de certa forma, uma continuação dessa primeira e ainda está sendo escrita. Então vamos lá?

Câncer sem Tabu

Tudo começou através do Instituto Oncoguia, do qual ela se tornou voluntária. Lá, a Bel conheceu a Cyntia, que também era paciente de câncer de mama e participava do voluntariado. Como as duas moram em Brasília e compartilhavam muitas experiências parecidas, começaram uma forte amizade. E ambas tinham sentido na pele a dificuldade de encontrar informações confiáveis e confortantes durante seu tratamento.

Foi então que tiveram a ideia de começarem o Câncer sem Tabu, um grupo de apoio para pacientes no Whatsapp. O mais legal é que o grupo é aberto para falar sobre qualquer tipo de câncer e serve como um lugar de acolhimento e inspiração para todos os participantes.

Cyntia e Bel, criadoras do Câncer sem Tabu
Cyntia e Bel, criadoras do Câncer sem Tabu

Segundo ela, a maioria das pessoas entra no grupo logo que é diagnosticada ou no início do tratamento, o que é muito bom justamente por ser a fase que possui mais desinformação espalhada nas redes. Também é super importante por ser o momento em que as pessoas mais precisam ouvir mensagens positivas para desmistificar a doença e o tratamento.

Para estimular a troca de mensagens positivas, elas criaram o #DepoimentoDoDia, que é um sucesso no grupo. Todo dia alguém diferente dá um testemunho sobre sua experiência e deixa uma mensagem positiva para os demais no final. Isso é ótimo para criar uma identificação mais forte entre as pessoas do grupo e fazer com que todos se sintam mais estimulados na sequência do tratamento.

Hoje, o grupo conta com mais de 200 participantes e a Bel nos contou que elas já tem demanda para começar um outro grupo. Mas além disso, ela e a Cyntia querem promover mais encontros pessoais e fazer trabalhos voluntários em hospitais. Segundo ela, faz toda a diferença promover alguns eventos com profissionais da saúde para falar sobre a importância de diversas áreas no tratamento do câncer, como o acompanhamento psicológico.

E não para por aí: a Bel e a Cyntia querem que o Câncer sem Tabu se institua como ONG. Desse jeito, elas poderão expandir ainda mais a atuação do grupo, espalhando mais informações relevantes e acolhedoras para os pacientes de câncer e ajudando a melhorar a vida de milhões de pessoas no Brasil.

Prevenção

Falando um pouco mais sobre a prevenção do câncer, a Bel considera muito importante as campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul. Com apoio da mídia e de outras instituições, tais campanhas ajudam a difundir mais informações e alertar sobre o câncer de mama e de próstata, os tipos mais comuns entre mulheres e homens.

Laço rosa e laço azul, representantes das campanhas de prevenção ao câncer Outubro Rosa e Novembro Azul

Mas o aviso de prevenção tem que estender para todos os tipos da doença. Para isso, ela considera essencial que todo mundo, independente da idade, esteja atento ao seu corpo, mesmo aos pequenos sinais que ignoramos por vezes. Se encontrar algo diferente em você, procure um médico e faça os exames. Nesse artigo, o Oncoguia explica um pouco melhor como prevenir cada tipo de câncer.

O fator genético também pode ser um indicador para a prevenção. Então se você tiver algum familiar que já foi diagnosticado com câncer, não dê bobeira. Faça exames de rotina para checar se está tudo ok e também fique atento aos sinais do seu corpo.

É de suma importância que, cada vez mais, a informação de qualidade chegue até a sociedade. Assim, poderemos falar abertamente e com propriedade sobre o assunto, impactando positivamente a vida das pessoas ao nosso redor.

Quer entrar em contato com as meninas do Câncer sem Tabu? É só mandar uma mensagem para elas no e-mail: [email protected] ou na página do grupo no Instagram.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *